NEWSLETTER [ON]TEM

19/05/2022

Eleições 2022: TSE terá canal no Telegram

Ops! Algo deu errado. Tente mudar de navegador e inserir seu e-mail novamente.

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revela canal oficial no Telegram para compartilhar informações sobre as eleições. O grupo será utilizado  para divulgar informações, tirar dúvidas e marcar conteúdos falsos sobre as Eleições 2022. [Tecnoblog]

TikTok criou um recurso que favorece os criadores das “trends”. A plataforma está introduzindo um novo recurso que permite que os criadores marquem e creditem diretamente outras pessoas como inspirações do conteúdo. A plataforma busca evitar que influenciadores maiores ganhem créditos por ideias de influenciadores menores. [Engadget

Google declara falência na Rússia. A subsidiária russa da empresa teve suas contas bancárias confiscadas, como consequência foi obrigada a declarar-se insolvente. [Tecmundo]

Google manterá o G suite gratuito. O Google abandonou a ideia de obrigar os usuários da edição gratuita do G Suite a migrar para uma versão paga. Aqueles que desejarem manter os benefícios deverão escolher a opção gratuita até 1º de agosto de 2022, podendo perder acesso e dados caso não migrem dentro do prazo. [The Register]

Nova York tem mais anúncios do Airbnb do que apartamentos para alugar. O número de alugueis  é menor, apesar de uma lei de 2016 que proíbe aluguéis de curto prazo. Segundo relatório, a oferta de aluguel em abril em  Manhattan, Brooklyn e no noroeste do Queens totalizou 7.699 unidades, número inferior ao ofertado pelo Airbnb que está entre 10.000 e 20.000. [Curbed

Trabalhadores da Amazon acusam a empresa de perseguição. Esta semana, mais dois funcionários entraram com uma acusação de prática trabalhista injusta contra a Amazon no National Labor Relations Board, alegando que a Amazon havia os retaliado por participar de “atividades sindicais.” [Vice]

Amazon acusada de não dar assistência a grávidas e deficientes físicos. A Divisão de Direitos Humanos do estado de Nova York apresentou uma queixa contra a Amazon alegando que a empresa obriga as trabalhadoras grávidas e as trabalhadoras com deficiência a tirar licença não remunerada ao invés de fazer adaptações para que continuem trabalhando. A legislação de Nova York exige que as empresas façam alterações nos horários de trabalho e funções de quando os trabalhadores as solicitarem. [UOL]

Newsletter diária com as principais notícias do dia anterior sobre tecnologia e sociedade. Enviada toda manhã, de segunda à sexta.